domingo, 8 de marzo de 2009

Y todo fue cambiando...



Luchas por el miedo al pasado,
Un presente que renegaba,
Grietas que el tiempo
Con su correr fue sellando.

Espíritus incansables,
Y su meta… “Igualdad”
Guerreras audaces
Que cedieron vida por ideal.

Rosas que perfumaron la historia
Haciendo dejar el ayer atrás
Quebrando lo que se solía acostumbrar,
Dando un nuevo sentido a la palabra “Mujer”.

2 comentarios:

Borboleta dijo...

Olá, passei para conhecer seu espaço, abraços.
Borboleta


GEOGRAFIA DA FOME

"Xiquexique, mucunã
Raiz de imbu e colé
Feijão brabo, catolé
Macambira, imbiratã
Do pau-pedra e caimã
A parreira e o murão
Maniçoba e gordião
Comendo isso todo dia
Incha e causa hidropsia
Foge, povo do setão"


"Marchemos a encarar
Trinta mil epidemias
Frialdade, hidropsia,
Que ninguém pode escapar.
Os que vão para o brejo vão
Morrem de epidemia
Sofrem fome todo dia
Os que ficam no sertão"

Josué de Castro

Borboleta dijo...

CONFISSÃO

esperando pela morte
como um gato
que vai pular
na cama

sinto muita pena de
minha mulher

ela vai ver este
corpo
rijo e
branco

vai sacudi-lo e
talvez
sacudi-lo de novo:

“Henry!”

e Henry não vai
responder.

não é minha morte que me
preocupa, é minha mulher
deixada sozinha com este monte
de coisa
nenhuma.

no entanto,
eu quero que ela
saiba
que dormir
todas as noites
a seu lado

e mesmo as
discussões mais banais
eram coisas
realmente esplêndidas

e as palavras
difíceis
que sempre tive medo de
dizer
podem agora
ser ditas:

eu
te amo.

CHARLES BUKOWSKI